No nosso segundo dia no Atacama fomos finalmente fazer o primeiro tour no desertããão mesmo. Nosso encontro estava marcado para sair as 16 horas da agência no centro de San Pedro. Eu decidi colocar esse tour no dia seguinte  do Tour astronômico porque imaginei que fossemos chegar bem tarde em casa depois de passar a noite vendo as estrelas, mas como o nosso tour saiu as 21 horas, chegamos bem cedo de volta no hostel e no dia seguinte,antes das 16 horas  aproveitamos pra curtir mais a cidade.

Saímos em duas vans, e nosso guia foi durante o trajeto contando um pouco sobre o Valle da La Nuna. Alguns quilômetros antes de chegar na entrada no Valle de La Luna paramos para comprar os ingressos, se não me engano o valor foi de 2000 pesos.

Olhando todas essas paredes de Pedra eu não imaginei que embaixo era tudo sal. Sim, tudo sal.
Chegando no Valle de La Nuna nosso guia (que por sinal era um cara bem doido) nos reuniu e explicou que passaríamos por dentro de algumas cavernas. Enquanto andava entre as rochas conseguimos ver muitos cristais branquinhos, todo mundo querendo lamber pra comprovar que era tudo sal mesmo. Eu achava que essa parte do passeio era bem rápida, coisa de 5 minutos, mas o caminho foi mais longo e nos divertimos muito andando dentro de todo aquele sal.

Andamos cerca de 30 -40 minutos entre as rochas, nosso guia ia parando e contando um pouquinho mais sobre a história desse lugar. Eu achava cada história contada incrível (quando eu conseguia entender o que ele falou em Espanhol), esse mundão sempre nos surpreende né. O cenário parecia coisa de filme, tipo Mad Max, um pouco de Star Wars…imagina minha alegria.

Depois começamos caminhar até as Dunas e as subidas começaram. O objetivo é chegar no topo das dunas pra ter a melhor visão possível do Valle. A subida cansa um pouquinho mas foi um trajeto bem tranquilo, além disso o clima estava bem agradável o que ajudou muito no nosso percurso. É só ir com calma e paciência, que tudo da certo.

Meu amigo e modelo, Lemão

Deserto. Tanta gente não entendia muito a pira de ir para um deserto e talvez esse passeio defina um pouco essa vontade. Que vista incrível, parecia outro planeta, parecia marte, um horizonte carregado por vales, montanhas, dunas e areia. Era de tirar o folego.

O nosso guia chegou lá no topo, sentou do meu lado e disse “venho aqui quase todos os dias e eu simplesmente não me canso disso”. Arrepiei, porque já era claro desde o começo do nosso tour que ele era muito apaixonado pelo Atacama, mas ver ele lá sentado, observando como se fosse a primeira vez dele lá foi muito legal.

Perdeu os dois primeiros posts sobre a nossa Viagem? Você pode ler aqui:

Atacama: Tour AstronômicoSan Pedro Atacama: A Ida, a agência escolhida e o Hostel